• Aplicativos
  • Bancos
  • E-commerce
  • Financeira
  • Fintech
  • Segurança da Informação
  • Varejo

O que é análise de risco na segurança da informação e 5 passos para realizá-la

Avatar
rafaella.melani
  • 16 de março de 2020
  • 5 min de leitura

No mundo tecnológico em que vivemos, questões como análise de riscos na segurança da informação, gestão de vulnerabilidades e proteção de dados são preocupações cada vez mais frequentes no meio corporativo. 

As empresas estão voltando a sua atenção para os ataques virtuais e os prejuízos decorrentes deles. Segundo o relatório Cyber Incident & Breach Trends Report, divulgado pela Online Trust Alliance (OTA), os ataques cibernéticos causaram perdas de US$ 45 bilhões em 2018 em todo o mundo. 

O relatório aponta ainda que cerca de 95% das violações de dados registradas poderiam ter sido evitadas. O dado é preocupante porque mostra que as corporações ainda não dão a devida atenção às ameaças virtuais e não adotam as medidas de segurança necessárias.

Para entender que ações sua empresa pode tomar para garantir a integridade de dados estratégicos, é fundamental realizar uma análise de riscos na segurança da informação. Entenda o que é essa análise, como ela pode ajudar a sua empresa e 5 passos para implementá-la!

 

O que é análise de risco na segurança da informação?

A análise de riscos na segurança da informação é um processo que busca identificar falhas e vulnerabilidades que podem expor dados e informações da empresa a ameaças. Nessa análise são avaliadas configurações de redes, problemas em aplicativos, softwares que podem causar falhas futuras, etc. 

A ideia é mapear todos os sistemas, programas e aplicativos que podem conter falhas e brechas de segurança. A partir das informações encontradas, é possível tomar medidas que busquem diminuir os riscos das vulnerabilidades.

É importante levar em conta que qualquer sistema ou infraestrutura que manipule e trafegue dados estão sujeitos a alguma falha ou brecha que pode resultar em exposição de dados confidenciais e violação de políticas de privacidade.

Para entender o que é a análise de riscos na segurança da informação, é necessário ter em mente alguns conceitos:

  • Vulnerabilidade: designa um ponto fraco ou falha existente num determinado sistema ou recurso. Se não for solucionada, esta falha poderá ser explorada por agentes externos ou internos. Podemos encontrar vulnerabilidades, por exemplo, em um design mal planejado, na implementação mal realizada de um programa ou sistema mal desenvolvidos.
  • Ameaça: situação em que um agente interno ou externo explora acidentalmente ou propositalmente uma vulnerabilidade, causando impactos negativos sobre um sistema ou recurso. 
  • Risco: refere-se ao potencial associado à exploração de vulnerabilidades. Ou seja, é o que está em jogo em termos de bens econômicos, resultando em um impacto para a organização, como mal funcionamento, roubo de informações, entre outras consequências.

Objetivos de uma análise de riscos

Quando se realiza uma análise de riscos na segurança da informação de uma empresa, busca-se:

  • Identificar e mitigar ameaças em potencial à segurança de Tecnologia da Informação e a probabilidade de que se concretizem;
  • Identificar o valor dos recursos e estruturas, inclusive seu valor indireto, caso sejam danificados ou violados;
  • Usar essa análise de valores para identificar as ações mais adequadas para correção das fragilidades;
  • Definir e gerenciar uma política de gestão de riscos de segurança;
  • Definir processos para aprimorar o gerenciamento de riscos na empresa;
  • Garantir a melhoria contínua de toda a infraestrutura de segurança da empresa;
  • Possibilitar o alinhamento da empresa às normas de Compliance.

Leia também: Como funciona a LGPD e quais os impactos da nova lei para a sua empresa?

 

Principais causas das vulnerabilidades

A maioria das falhas e brechas de segurança resultam de determinadas situações ou ações que, em geral, podem ser identificadas previamente e evitadas por meio de uma rigorosa análise de riscos na área de segurança da informação.

Entre as causas de vulnerabilidades que podem ser identificadas em uma análise está a falha humana. Os colaboradores de sua empresa necessitam ser devidamente treinados para identificar situações de risco, desde procedimentos básicos, como não clicar em links suspeitos ou baixar documentos indevidos, até falhas em sistemas e programas.

Outros fatores que podem causar vulnerabilidades são falhas nos sistemas e programas. Essas falhas podem ser decorrentes de problemas no desenvolvimento dos softwares, má configuração desses programas ou até mesmo falta de manutenção preventiva e de atualização frequentes. 

É necessário garantir ainda que os hardwares não estejam desgastados, comprometidos ou defasados de alguma forma. Todas essas questões técnicas podem deixar brechas à invasões e comprometer a segurança da informação.

Leia ainda: Roubo de identidade: o que é e como se prevenir desse problema 

 

Como fazer uma análise de riscos?

Agora que você já sabe o que é uma análise de riscos na segurança da informação e quais vulnerabilidades podem ser encontradas, está na hora de descobrir como fazer essa avaliação.

Para identificar os riscos relacionados à segurança de dados que a organização pode estar sujeita e resolvê-los, há uma série de etapas. Listamos 8 estratégias que podem ser adotadas pela sua empresa:

1) Planeje o processo

Antes de mais nada é essencial planejar o processo que será executado. Para isso, é importante mapear todas as informações relevantes da empresa, como tamanho, infraestrutura, número de aplicações e dispositivos. 

Também é necessário fazer um levantamento de que tipos de dados e informações são armazenados e como é feito esse armazenamento, além dos cuidados que já são tomados. Nesta etapa, faça um inventário de ativos de informação, ou seja, identifique os componentes humanos e tecnológicos que sustentam os processos da empresa. 

Uma boa análise de riscos também depende do conhecimento de informações que a empresa tem, tais como fabricantes dos softwares, versões, local de instalação, responsáveis, entre outros.

2) Realize um mapeamento dos riscos

É importante que todos os riscos, sejam virtuais ou não, sejam levantados. Para isso, identifique quais são os dados sensíveis e faça uma varredura em busca de possíveis falhas de segurança.

Para isso, pode-se utilizar ferramentas de scan de vulnerabilidades e testes de invasão. Com esses recursos é possível verificar onde estão as principais falhas e como elas podem ser utilizadas para prejudicar a empresa.

3) Analise e priorize os riscos 

Após identificar todas as vulnerabilidades, é preciso fazer a análise de dados, de maneira a identificar quais são s principais falhas. Essa análise ajuda a determinar soluções de acordo com a importância das riscos encontrados.

É importante que essa etapa envolva diversos colaboradores e setores da empresa, assim é possível entender as ameaças e categorizá-las pensando na organização como um todo. As ameaças não afetam da mesma maneira as diversas áreas da empresa.

Depois de analisar e priorizar os riscos, é a hora de corrigir as vulnerabilidades. Os procedimentos para resolver as falhas devem ser contínuos e estruturados. Muitas vulnerabilidades são recorrentes e sempre surgem novos possíveis riscos. 

4) Produza relatórios

Registre as informações obtidas e as ações a serem tomadas. Isso garante o planejamento das medidas e facilita a disponibilização de informação para todos os colaboradores. Os relatórios mostram dados, dão visibilidade às ações e resultados e, ainda, podem ajudar a medir a eficácia das medidas.

Além disso, o registros das informações também pode ser usado como consulta para ações estratégicas futuras. A partir dos relatórios, é possível aprender com os incidentes, prevenir futuras ocorrências e estar preparado para outros impactos. 

5) Estabeleça métricas e ações futuras

A análise de riscos na segurança da informação é um processo que deve ser realizado continuamente. O ideal é estabelecer um planejamento de ações e uma periodicidade para elas sejam realizadas. Além disso, é importante definir métricas que avaliem a eficiência das medidas.

Medir é importante porque evidencia o que tem sido feito, justifica investimentos e mostra o que precisa ser melhorado e alcançado. Uma métrica importante é a quantidade de vulnerabilidades registradas nos períodos desejados e suas evoluções. O tempo de resolução também é importante, uma vez que, quanto mais uma vulnerabilidade demorar para ser corrigida, maiores serão os riscos à segurança da empresa.

Você pode saber mais sobre gestão e análise de risco na segurança da informação neste vídeo:

 

Gostou do nosso conteúdo? Continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro dos assuntos relacionados a reconhecimento facial e tecnologia. Conheça também o AcessoBio, tecnologia de reconhecimento facial para autenticação e validação de identidades da Acesso Digital.

Artigos relacionados