• Recursos Humanos

Novos modelos de trabalho: conheça os principais!

Camila Silva
  • 20 de janeiro de 2021
  • 6 min de leitura

Frequentemente, surgem novos modelos de trabalho que merecem atenção do time de Recursos Humanos. Afinal, existe a necessidade de entender quais são as adaptações necessárias para aplicá-los, os cuidados exigidos com os colaboradores (especialmente no momento de uma contratação), além de entender como é possível manter uma cultura organizacional sólida.

Nesse sentido, há a possibilidade de buscar por estratégias eficazes que trarão o engajamento dos profissionais, bem como resultarão em funcionários mais satisfeitos. Neste conteúdo, selecionamos alguns novos modelos de trabalho que surgiram especialmente depois que a pandemia da COVID-19 assolou todo o globo. Continue a leitura e saiba mais!

Como a pandemia influenciou novos modelos de trabalho?

Primeiro, vamos entender como a pandemia influenciou novos modelos de trabalho. Desde fevereiro de 2020, quando o primeiro caso de Covid foi confirmado no estado de São Paulo, governos municipais e estaduais precisaram adotar protocolos que freassem o avanço da doença. Nesse sentido, as organizações precisaram se adaptar, de modo que continuassem exercendo suas atividades, mantendo a satisfação dos clientes e ainda seguissem com profissionais motivados, mesmo em um contexto atípico.

O trabalho remoto foi uma dessas necessidades. Com a exigência de isolamento social para conter o vírus, empresas dos mais variados nichos de atuação adotaram esse tipo de trabalho, o que trouxe alguns desafios. Seja para manter a comunicação do time alinhada, seja para manter a competitividade no mercado, os processos precisaram ser adaptados, bem como houve a precisão de encontrar ferramentas que auxiliaram de maneira positiva para superar as dificuldades.

O que era para durar apenas alguns meses, perdura quase um ano depois em grande parte das empresas. Nesse sentido, novos modelos de trabalho passaram a ser considerados, justamente pelo olhar diferenciado adquirido pelas gestões.

Qual é a realidade do Brasil nesse cenário?

Ao entendermos sobre as transformações ocorridas no mercado, uma dúvida comum entre as pessoas está relacionada à realidade do Brasil nesse cenário. De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas, 67,4% dos profissionais formais estão sob o regime remoto. Esse valor representa cerca de 20 milhões de funcionários, o que demonstra o impacto que ainda reflete na realidade das empresas.

Além disso, de acordo com uma pesquisa feita pela Cia do Talento e do Instituto Renoma, a maioria dessas pessoas defende a continuidade do trabalho à distância. Afinal, é uma oportunidade de estar mais próximo da família, além de reduzir de forma significativa o tempo gasto com as funções profissionais – justamente por não haver a necessidade de realizar o deslocamento.

44% dessas pessoas se consideram a favor do trabalho remoto. Outras 40% neutras. Apenas 16% deles se dizem contrários. Ou seja, é papel dos Recursos Humanos entenderem quais são os desafios dos profissionais, quais as ferramentas buscar no mercado para tornar o dia a dia mais simplificado e como continuar promovendo a gestão de desempenho à distância.

Quais são os novos modelos de trabalho existentes?

Agora que você já sabe como a pandemia impactou o mercado e qual é a realidade do Brasil nesse cenário, chegou o momento de conhecermos quais são os novos modelos de trabalho existentes. Confira!

Teletrabalho

O primeiro deles está relacionado ao teletrabalho. Na Reforma Trabalhista houve a introdução do Capítulo II-A na CLT, dedicado principalmente para esse tema. Trata-se de uma modalidade na qual o profissional vai prestar serviços fora das dependências da empresa. Para isso, utilizará tecnologias de comunicação e de informação. Consequentemente, essas características contribuem para que não seja considerado um trabalho externo.

Qual a diferença do teletrabalho para o trabalho remoto ou home office? Nenhuma. Afinal, ambos são tipos de teletrabalho, que explicaremos mais adiante. Aqui, devemos considerar o que não é teletrabalho de acordo com a legislação. Entre eles, destacamos:

  • vendedores, especialmente aqueles que passam grande parte do dia fora das dependências da empresa;
  • motoristas;
  • ajudantes de viagem;
  • qualquer outro tipo de função que faz com que a pessoa se desloque de forma frequente – corretores de imóveis, por exemplo.

Home office

Conforme explicamos, o home office é um tipo de teletrabalho que passou a ter grande relevância durante a pandemia. Como o contexto pegou todo mundo de surpresa, inicialmente foi considerado obrigatório às pressas, sem os devidos cuidados. No entanto, para manter o colaborador trabalhando de casa, alguns pontos merecem atenção, tanto no que diz respeito à segurança quanto no que se refere à qualidade de vida do profissional e também à sua ergonomia.

Quanto aos itens de necessidade básica, o ideal é que tenha uma Virtual Private Network, também conhecida como VPN. Essa ferramenta de segurança contribui para que a pessoa tenha acesso à rede interna da empresa e somente profissionais autorizados consigam ter o conhecimento de dados considerados sigilosos.

Além disso, o ideal é que a empresa ofereça os equipamentos ao profissional, como computadores, cadeiras e demais itens de necessidade do funcionário. Quanto ao computador, este item é essencial para o controle de segurança. Assim, a equipe tem a oportunidade de controlar qual o antivírus usar, quais são os sistemas permitidos para acessos, entre outros pontos. Com a LGPD, todo cuidado é pouco para evitar o vazamento de dados de clientes.

Para manter a cultura organizacional sólida, as lideranças devem estar sempre presente com seus liderados. Nesse sentido, é indicado que faça reuniões periódicas, que entendam os desafios das pessoas com esse novo modelo de trabalho e escute o que ele tem a dizer.

Quanto às ferramentas de reunião, o indicado é que a empresa analise quais são as suas necessidades e opte por aquela que melhor atenda à realidade financeira do negócio. Assim, há a possibilidade de as pessoas se sentirem próximas, mesmo cada uma de sua casa.

Trabalho híbrido

Mais acima, apresentamos uma pesquisa que grande parte das pessoas que estão em home office gostaria de continuar com esse modelo de trabalho depois que os efeitos da pandemia passarem. Nesse sentido, um novo tipo surgiu entre as empresas, ganhando destaque no mercado: o trabalho híbrido. Trata-se da alternância do colaborador entre o escritório e a sua casa (ou qualquer outro ambiente que deseja exercer as suas funções profissionais).

De acordo com uma pesquisa feita pela universidade de Stanford, 55% dos trabalhadores americanos gostariam de adotar esse modelo. Além disso, no Reino Unido, a expectativa é de que as pessoas que estejam em funcionamento remoto dobrem de 18% (antes da pandemia) para 37%.

Caso a sua empresa deseja adotar esse novo modelo de trabalho, quais são os cuidados necessários a serem tomados? Assim como no caso do home office, é essencial ter atenção quanto à segurança da informação. Além disso, sempre faça pesquisas de satisfação com os seus colaboradores, avaliando se há a necessidade de novos equipamentos e quais são os desafios encontrados ao longo da rotina.

Entre as principais vantagens do trabalho híbrido, destacamos:

  • redução do absenteísmo, uma vez que as pessoas não precisarão se deslocar de forma frequente até o escritório;
  • maior autonomia para os colaboradores;
  • redução de custos para a empresa, justamente por não haver necessidade de disponibilizar escritório para todas as pessoas do negócio; 
  • maior qualidade de vida no trabalho.

Qual o papel do RH quanto aos novos modelos de trabalho?

Ao mencionarmos sobre os novos modelos de trabalho, devemos levar em consideração que o RH é uma das peças-chave para que a execução atenda às necessidades da empresa, além de garantir a produtividade do profissional, a satisfação e o seu engajamento. Esse último, inclusive, é essencial para que a organização alcance os resultados almejados. De acordo com um estudo da Gallup, apenas 13% dos profissionais de todo o mundo são de fato engajados, o que reforça a necessidade de estratégias que tragam melhorias nesse sentido.

Além disso, preocupar-se com a capacitação das pessoas, mesmo à distância, permitirá uma redução da taxa de turnover, além de contribuir para o desenvolvimento de um senso analítico por parte da equipe. Nos processos de recrutamento e seleção, tenha atenção dobrada quanto à adaptabilidade daquela pessoa à cultura da empresa, uma vez que ela precisa ser reforçada independentemente do contexto.

Por fim, as lideranças também precisam ser capacitadas para conseguirem absorver as qualidades de seus liderados, de modo que eles se sintam acolhidos e entreguem seu potencial máximo, o que resulta em ótimos números para o negócio.

Admissão digital: por que considerar em trabalhos remotos?

Entre os desafios das empresas que passaram a operar em trabalho remoto, a admissão é um dos principais. Afinal, as empresas estavam acostumadas com a contratação de forma presencial, com a análise física de documentações, entre outros pontos relacionados a essa etapa.

No entanto, há ferramentas que possibilitam a admissão digital. Por meio dessa solução, as equipes têm a oportunidade de:

  • admitir um funcionário em até 43 minutos;
  • melhorar a experiência do novo colaborador, contribuindo para uma primeira impressão positiva;
  • gerenciamento das contratações em tempo real de onde quer que esteja;
  • experiência de admissão responsiva;
  • possibilidade de o RH se tornar mais estratégico, uma vez que vai automatizar funções manuais;
  • dúvidas dos colaboradores respondidas de forma rápida e automática;
  • automatização da validação de dados junto ao eSocial.

Um dos grandes diferenciais dos novos modelos de trabalho está no fato de ter a possibilidade de contratar pessoas de qualquer lugar do Brasil e do mundo, ampliando o leque de oportunidades de atrair talentos qualificados para as equipes. Mais do que nunca, buscar por ferramentas adequadas para otimizar as atividades das pessoas deve ser uma prioridade do time, contribuindo para que a organização possa funcionar de maneira eficaz independentemente do modelo.

Conforme vimos, a admissão digital funcionará como uma importante aliada nesse processo. Caso tenha ficado alguma dúvida, entre em contato com a nossa equipe, converse com nossos profissionais e conheça a unico | people.

Artigos relacionados