• Tecnologia

Tecnologia na logística: os desafios e tendências do setor

Camila Silva
  • 11 de fevereiro de 2021
  • 6 min de leitura

O transporte de produtos sempre foi algo importante na sociedade. Em tempos remotos, cidades inteiras dependiam da chegada de suprimentos de localizações distantes. Com o crescimento das tecnologias e dos mercados do atacado e do varejo, e com a complexidade que ganharam, a necessidade de pensar o transporte e armazenamento aumentou, com contornos específicos, sendo hoje uma realidade cujos impactos podem ser percebidos diariamente.

Nesse contexto, surge no mercado um setor voltado à essas questões, a logística, pela qual se pensa as diferentes situações que envolvem o transporte e o armazenamento de produtos. E sobre esse assunto é que trataremos neste texto, explicando um pouco do que se trata a logística e quais suas tendências na sociedade contemporânea.

Do que falamos quando discutimos logística?

Logística diz respeito basicamente aos modos pelos quais as empresas se organizam e executam as operações referentes ao transporte e ao armazenamento dos produtos, conforme parâmetros de segurança, eficiência, eficácia e praticidade aos agentes envolvidos. De forma mais comum, podemos considerar a logística voltada primeiro ao transporte, enquanto o armazenamento se torna apenas uma atividade-meio realizada entre o fim e o início de alguma rota.

No caso de empresas especializadas na logística, seu trabalho pode ser desenvolvido considerando todo o percurso do produto pelo mercado, e assim, desenvolvendo soluções que assegurem o caminho do produto desde sua origem até a oferta ao consumidor final no varejo. De outro modo, pode-se dar ênfase sobre algum trecho desse percurso, por exemplo, nos momentos de armazenamento do produto, ou de etapas específicas do transporte, por exemplo.

Também há os casos de empresas especializadas em logística que optam por desenvolver soluções em torno de produtos específicos, de modo a criar infraestruturas adaptadas e personalizadas ao comércio daquele produto. Nesse caso, a lógica é a de pensar os riscos e as questões específicas daquele produto, assim, especializando em tudo que diz respeito a ele e sua logística pelo mercado, para atender de modo mais qualificado e personalizado o seu público consumidor.

Quanto aos tipos de infraestruturas criadas e às soluções ofertadas em torno da logística, cada empresa desenvolve os que melhor atendam às suas necessidades, ou dos clientes aos quais elas prestam serviços nessa área.

As infraestruturas criadas podem ser uma rede mais simples, envolvendo, por exemplo, alguém que gerencia certas operações de transporte de ponto A ao ponto B, e outra que executa esse transporte, fazendo entregas utilizando um caminhão. Também podem ser infraestruturas mais complexas, envolvendo diferentes agentes, com relações com outras instituições, mobilizando diferentes recursos tecnológicos, e meios de transportes variados, como helicópteros e aviões.

O contexto atual de pandemia decorrente do novo coronavírus trouxe mais questões a se pensar, no que tange aos processos da logística. De tal forma, ela tem se tornado um tema recorrente, em especial no que se refere à resposta à busca por transações comerciais que nos permitam evitar ao máximo o contato direto entre pessoas, que se necessário seja reservado estritamente ao momento da entrega final.

Sendo assim, algumas soluções tecnológicas, que comentaremos em sequência, aparecem como possibilidades de aprimorar a logística e suas atividades, para responder à nossa cultura tão imediatista, e que intensificou essa característica no contexto atual no qual nos inserimos mais no mundo digital e nos acostumamos a velocidade de transações e do compartilhamento de informações.

Atualmente, tendo em vista a importância das tecnologias às soluções em logística, muitos já comentam da Logística 4.0, uma nova fase do setor em que atrelar logística e tecnologia é percebido como um movimento essencial. 

A Logística 4.0 se insere na quarta revolução industrial, marcada pela automatização dos diferentes processos de produção da sociedade, afetando âmbitos como o econômico, o cultural, o social, o político, entre outros. Essa automatização se faz possível pela adoção de tecnologias de informação e comunicação cada vez mais sofisticadas que permitem conexões entre objetos, e entre estes e os diferentes processos do dia-a-dia.

Nesse contexto, a Logística 4.0 vem no sentido de mudar as formas de pensar o desenvolvimento de todo o setor, verificando as possibilidades das tecnologias frente ao aprimoramento e automatização das atividades referentes ao transporte e ao armazenamento de produtos, no âmbito das transações comerciais, independente dos locais onde ocorram.

As possibilidades futuras para a logística

Conectar objetos pela internet das coisas

A internet das coisas tem se tornado uma aliada importante no setor de logística, pois, a interconexão, entre objetos possibilita maior controle e monitoração dos produtos, desde as etapas que levam à sua disponibilização no mercado, até o momento final em que o consumidor realiza a compra, ou, conforme o caso, recebe o produto em casa. Torna-se assim de grande auxílio ao monitoramento das ações, conforme elas são interconectadas digitalmente, e comunicadas aos sujeitos interessados.

A internet das coisas permite a transmissão de dados, por exemplo, do consumidor que realiza o pagamento por uma carteira digital e os dados referentes são enviados à empresa. Ela envia as informações da compra ao entregador que registra em um computador a retirada do produto de um local de armazenamento. O produto também é identificado por metadados próprios que permitem seu monitoramento online, como transmissão via satélite, ou transferência de informações de GPS do caminhão. Quando a entrega chega, a pessoa pode confirmar por um dispositivo de assinatura eletrônica, ou por aplicativo de celular, e os dados são enviados à empresa confirmando a chegada.

Sendo assim, é possível verificar como a internet das coisas tem se popularizado no mercado da logística e se mostrado como uma tendência pela facilidade que apresenta.

E-commerce

As vendas online pelo varejo têm se tornado cada vez mais comuns no cotidiano das pessoas. Praticamente tudo pode ser adquirido via online, por um aplicativo, ou endereço eletrônico. O e-commerce proporciona maior praticidade e conforto tanto à empresa, que pode voltar seus esforços ao produto e sua entrega, dispensando preocupações com locações presenciais, e aos clientes, que podem realizar suas compras sem sair de casa, com transações de pagamento com carteiras digitais e formas de autenticação por biometria facial.

Dessa forma, dada a dispensa de se preocupar com as questões presenciais, a logística no e-commerce torna-se um fator determinante ainda, que qualifica uma empresa e a destaca no mercado. 

Os prazos de entrega, os modos de armazenar o produto para o transporte, a chegada deste de forma segura e em mãos do cliente, sem se perder na entrega, são alguns dos fatores que se tornam mais fundamentais ainda no e-commerce, e cabe ao setor da logística pensar em soluções para eles a partir de soluções tecnológicas eficazes.

As entregas por drones

Os drones, ou de mais tecnicamente, Veículos Aéreos não Tripulados (VANT), em português, se tornaram uma possibilidade de uso aos diversos segmentos e atividades do cotidiano. No âmbito da logística, nos últimos anos, seus usos têm trazido benefícios como a redução de veículos nas estradas, ruas e avenidas, e a diminuição dos prazos de entrega de produtos.

Essencialmente, os drones são veículos aéreos não tripulados, com dimensões menores. Eles podem ser comparados aos brinquedos de controle remoto, mas que se diferenciam por serem constituídos por mecanismos mais complexos de funcionamento e de funcionalidade. Inicialmente eram utilizados junto à indústria bélica, mas com o passar do tempo passaram a ser empregados também na logística, para o transporte de produtos diversos.

Como é recente o uso desse dispositivo no âmbito da logística, a adoção de drones como meio de transporte de produtos tem um desenvolvimento ainda tímido, e limitações quanto ao peso dos produtos transportados.

De todo modo, o uso de drones tende a crescer, pois, suas possibilidades demonstram serem dispositivos de grande relevância se explorados em consideração ao tipo de comercialização possível por eles, enquanto meios de transporte de produtos. Os drones tornam-se ainda mais interessantes atualmente em que a economia de tempo é tudo. Em comparação entre uma entrega por caminhão ou por drone, por exemplo, o tempo gasto pelo último é consideravelmente inferior ao primeiro.

A biometria facial

Outro recurso de grande importância à logística, e fortemente vinculado à internet das coisas, é o uso de soluções tecnológicas de biometria facial junto aos processos relacionados ao desenvolvimento da logística.

Considerando que o caminho de um objeto pelo mercado pode passar por várias rotas e meios de transportes, desde navio, avião, caminhão, van, e carros, identificar as pessoas por detrás desses momentos torna-se extremamente necessário, em especial no que se refere às questões de segurança.

Nesse sentido, a biometria facial é um recurso importante de identificação de pessoas e autenticação de processos. Como exemplo, a necessidade da biometria facial pode ser percebida quando utilizada para confirmar que uma pessoa específica, ou um grupo pré-definido de pessoas, possa realizar determinada ação de um processo. Isso evita que o produto se perca no caminho, pois, há um controle maior de quem está responsável por ele em cada etapa até chegar ao consumidor, evitando que empresa e cliente tenham prejuízos por conta do transporte.

De forma semelhante, a autenticação por biometria facial na entrega assegura que apenas o cliente ou alguém designado por ele receba o produto, evitando que ele seja recebido por um desconhecido, e o produto seja perdido. Nesse contexto, todo o esforço da empresa em realizar um transporte seguro e qualificado se perderia ao final do processo, por uma simples entrega indevida que poderia ser evitada ao exigir a autenticação biométrica.

Por fim…

A logística é um setor de extrema importância ao mercado. Sem ela, as transações não se completam, os produtos não chegam aos clientes, os insumos que as empresas precisam para suas produções não são entregues. Pensar quais estratégias, recursos, e tecnologias empregar que melhor possam contribuir ao desenvolvimento desse setor é fundamental à qualquer empresa, devendo estar entre suas preocupações se quiser se sobressair no mercado e assegurar sua permanência nele, na medida em que promove serviços de maior qualidade, segurança e praticidade aos seus clientes.

Artigos relacionados