Por categoria:

  • Bancos
  • Delivery
  • E-commerce
  • Financeira
  • Fintech
  • Segurança da Informação
  • Varejo

7 dicas para evitar o roubo de identidade na internet

Avatar
rafaella.melani
  • 11 de março de 2020
  • 5 min de leitura
infocheck

Com a evolução tecnológica, crimes cibernéticos ganharam terreno fértil e, hoje em dia, o roubo de identidade na internet está cada vez mais comum. De acordo com um levantamento da Javelin Strategy & Research, a fraude de identidade causou, em 2016, US$16 bilhões em danos para 15,4 milhões de consumidores somente nos Estados Unidos. 

Já no Brasil, foram registradas 1,8 milhão de tentativas de fraude em 2017, segundo o Serasa Experian, o que representa uma a cada 16 segundos! Mas, afinal, como evitar o roubo de identidade na internet? Listamos 7 boas práticas que vão te ajudar a se proteger.

O que é o roubo de identidade?

Antes de mais nada, é importante entender o que é o roubo de identidade na internet. Esse tipo de fraude acontece quando dados pessoais de um consumidor são usados por terceiros para realizar ações em seu nome como abrir contas em banco e solicitar empréstimos.

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude, as principais tentativas de golpes registradas foram nos seguintes setores:

  • Compra de celulares com documentos falsos ou roubados;
  • Emissão de cartões de crédito;
  • Financiamento de eletrônicos, em geral, no varejo;
  • Abertura de conta em um banco;
  • Compra de automóveis;
  • Abertura de empresas com os dados roubados.

7 dicas para evitar o roubo de identidade na internet

É muito difícil identificar um roubo de dados e identidade. Em geral, o consumidor descobre o crime algum tempo depois, quando é notificado de uma dívida que não realizou ou quando quer realizar um financiamento e não é autorizado. 

Por isso, para evitar a dor de cabeça de lidar com as consequências depois que o crime já foi cometido, é importante adotar medidas para evitar fraude na internet. Listamos 7 dicas que podem te ajudar a se proteger. Confira!

1) Seja crítico

Desconfie de tudo! Antes de fazer um cadastro, clicar em um link ou disponibilizar seus dados pessoais em algum site, verifique se a página é verdadeira e confiável. Questione qualquer e-mail, aplicativo ou telemarketing que solicite informações pessoais. Tenha cuidado com sites que anunciam ofertas de emprego, promoções ou prêmios. 

2) Menos exposição nas redes sociais

Cuidado com os dados que você disponibiliza. Para evitar o roubo de identidade nas redes sociais, nunca coloque o número completo do seu telefone, data de nascimento, ou endereço físico no seu perfil. 

Atenção também com as fotos e informações que você posta nas redes. Páginas como Facebook, Instagram ou Twitter são alvos prioritários para pessoas mal-intencionadas e esses aplicativos não são completamente seguros

No ano passado, por exemplo, foi revelado que uma brecha na segurança do Instagram permitiu que as publicações privadas fossem acessadas por pessoas fora da rede social. O Facebook também já foi alvo de escândalos com relação à segurança de dados e existem diversas táticas para ter acesso a informações privadas dessa rede. 

3) Não use perfis de redes sociais para fazer login em outros sites

Quem nunca se viu diante da proposta de realizar o cadastro em uma página usando uma conta de outro serviço, como Google ou Facebook? Apesar da praticidade do “login único”, essa não é uma alternativa totalmente segura. 

Ao unificar os perfis, você tem menos controle de que informações está disponibilizando e permite um maior acesso dos seus dados pessoais. Isso abre caminho para violações de privacidade e para o roubo de identidade virtual. Por isso, escolha sempre fazer o cadastro da forma tradicional, utilizando e-mail e senha.

4) Muito cuidado com as senhas

Os usuários cometem muitos erros quando o assunto é senha de acesso. Para garantir segurança de sua conta ou cadastro é importante criar senhas fortes. Chaves de acesso longas, por exemplo, com mais de nove ou dez caracteres oferecem mais proteção. Mas não adianta usar sequências fracas, como o famoso 123456789, ou basear-se em informações pessoais, como a data de nascimento.

Outra dica importante é mesclar letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais ou substituir letras por números. Também é importante não reutilizar senhas. Se um hacker tem acesso aos dados de acesso de um site, outros serviços que utilizam a mesma senha também estarão comprometidos.

Se você tem dificuldade de lembrar das suas senhas, não caia na tentação de salvar os dados de acesso nos navegadores. Eles não são totalmente confiáveis. O melhor é optar por um gerenciador de senhas, como Password Safe, KeePass e F‑Secure Key.

5) Habilite a verificação em duas etapas

Esse processo insere uma fase extra no login. Com esse dispositivo, além de informar usuário e senha, é preciso utilizar informações adicionais, como códigos enviados por sms ou geradores de números de acesso disponibilizados por aplicativo. 

Assim, os criminosos precisam ter não só as informações de acesso, mas também o celular da pessoa em mãos, o que dificulta o roubo de identidade na internet por pessoas mal-intencionadas. A verificação em duas etapas nem sempre é obrigatória e é preciso escolher ativá-la. Para entender melhor porque esse processo é importante para a segurança de dados, veja este vídeo:

6) Atenção ao Wi-Fi

Pode ser tentador conectar-se a redes abertas para ter acesso à internet quando você está na rua, por exemplo. Mas essa é uma prática que devemos evitar. Criminosos podem criar falsas redes públicas para roubar dados de usuários. A partir do login, os hackers conseguem rastrear todos os sites visitados e até mesmo roubar senhas e outras informações pessoais fornecidas.

Além de não entrar em redes desconhecidas, também é importante proteger seu próprio Wi-Fi. Não deixe sua rede aberta, porque isso permite o acesso a sites que você visita com frequência ou que já visitou em algum momento. O melhor é proteger sua rede com senhas fortes.

7) Tenha um bom antivírus e anti-malware

Ter sempre um bom antivírus e anti-malware instalado no seu computador ou celular pode impedir o roubo de identidade na internet. Isso evita que programas maliciosos se instalem ou te ajuda a identificá-los e eliminá-los mais rápido. Mas, atenção, esses programas têm que estar atualizados, senão seu aparelho não estará protegido das ameaças mais recentes.

[Dica bônus] Boas práticas para empresas

Também é importante estar atento à privacidade de dados nas empresas. A segurança da informação é um tema estratégico da gestão de negócios e o seu comprometimento interfere na reputação da empresa, no bom andamento das ações e no alcance dos resultados planejados.

Por isso é necessário adotar medidas que podem evitar o roubo de identidade na internet no âmbito corporativo. Muitas das dicas listadas anteriormente também são úteis para o meio profissional, mas existem práticas de segurança voltadas especificamente para empresas que vão ajudar a garantir a privacidade de dados no seu negócio.

Veja algumas delas abaixo:

  • Hardware e software atualizados: mantenha os equipamentos e os sistemas e aplicativos atualizados. A defasagem tecnológica torna vulneráveis a infraestrutura e a segurança de dados.
  • Sistema de backup: tenha sempre um backup ou cópia de segurança, que garanta a segurança das informações, caso as bases onde os dados estejam armazenados sejam danificadas ou roubadas.
  • Redundância de sistemas: ter mais de um sistema garante que se um deles falhar, existe outro que entra em operação imediatamente, garantindo a continuidade das atividades. 
  • Política de segurança da informação: é essencial que a empresa estabeleça diretrizes de segurança da informação. Estas regras servem para impedir fraudes ou vazamento de dados.

Veja ainda: 7 principais mecanismos de segurança da informação.

Biometria Facial: proteção contra o roubo de identidade

Para garantir a segurança de dados, é fundamental adotar mecanismos que verifiquem a autenticidade de identidades e das informações que estão sendo disponibilizadas. Um desses mecanismos é a biometria facial.

O reconhecimento facial é uma técnica de biometria que busca identificar uma pessoa através da análise de traços faciais. Essa ferramenta faz um mapeamento de vários pontos do rosto humano, utilizando algoritmos matemáticos. Essas informações geram uma espécie de “identidade facial”, que é transformada em um código numérico.

Se você se interessou pelo tema, a Acesso Digital pode te ajudar! A empresa oferece uma tecnologia de fácil implantação, o Acesso Bio, que protege a identidade de seus clientes, garantindo a segurança e otimizando a confiabilidade de suas operações. Só em 2019, essa ferramenta promoveu uma economia de mais de R$ 92 milhões para sua carteira de clientes. Para completar, a empresa apresenta o melhor score biométrico do mercado em termos de validação e autenticação de identidades. Para saber mais, envie uma mensagem, clicando aqui, e entre em contato com nossos especialistas.

Conheça o unico | check
thumb
Identifique seus clientes com a maior base biométrica facial do Brasil
  •  icone Reduza fraudes de identidade
  • icone Agilize seu processo de onboarding
  • icone Reduza custos com antifraude
  • iconeElimine custos com mesa de análise
Conheça nossa solução
icone carta

Inscreva-se e fique por dentro das tendências da biometria facial.

Artigos relacionados