Por categoria:

  • Bancos
  • biometria
  • Delivery
  • E-commerce
  • Financeira
  • Fintech
  • Varejo

O que é Reconhecimento Facial e como ele é importante para a segurança digital

rafaella.melani
  • 29 de janeiro de 2020
  • 6 min de leitura
infocheck
O que é Reconhecimento Facial e como ele é importante para a segurança digital

Baseada em tecnologias de Inteligência Artificial (IA), a solução de reconhecimento facial tem como objetivo cruzar dados e identificar padrões faciais que certifiquem a identidade de uma pessoa. Mas, afinal, o que é reconhecimento facial, como funciona e como pode contribuir para a segurança digital? Confira neste post, a seguir:

O que é reconhecimento facial e onde ele surgiu?

O reconhecimento facial é uma técnica de biometria que busca identificar uma pessoa através da análise de traços faciais.

Utilizar características de uma pessoa para identificá-la e, assim, evitar fraudes de identidade é uma ideia antiga. As impressões digitais, por exemplo, começaram a ser usadas no início do século 20, quando a polícia britânica ganhou uma área especializada nesse tipo de evidência. Já a utilização de elementos faciais só passou a ser usada na década de 60.

Nessa época, os Estados Unidos desenvolveram um sistema semiautomático que buscava analisar fotos para encontrar determinadas características, como olhos, orelhas, nariz e boca, e calcular as distâncias entre esses traços. A ideia era criar um modelo de referência que pudesse ser comparado depois. Esse sistema criou parâmetros que são usados até hoje.

De 1964 a 1966, o cientista Woodrow W. Bledsoe liderou uma pesquisa com o objetivo de comprovar se os computadores de programação eram capazes de realizar o reconhecimento de faces. Para realizar os testes, a equipe utilizou um escâner simples. O experimento não foi bem sucedido, porém, ao longo do tempo, os avanços tecnológicos possibilitaram o desenvolvimento de plataformas de reconhecimento facial altamente eficazes. 

Atualmente, a tecnologia usada para o Reconhecimento Facial evoluiu muito e é utilizada em diversas áreas, como:

  • Segurança pública;
  • Gestão de entrada e saída em empresas e locais de acesso restrito;
  • Permissão de acesso a aparelhos celulares, tablets e outros;
  • Confirmação de identidade em processos de compras ou cadastros;
  • Abertura de contas em bancos digitais;
  • Pagamentos com a face;
  • Autenticação da identidade do cliente em transações bancárias e financeiras; 
  • Passwordless Authentication (autenticação sem senha);

Como funciona o Reconhecimento Facial? Confira um passo a passo!

Para entender o que é reconhecimento facial, é importante saber como ele funciona. Basicamente, o que a biometria facial faz é um mapeamento de vários pontos do rosto humano, utilizando algoritmos matemáticos. Esses pontos são chamados de pontos biométricos. Existem cerca de 80 pontos nodais na face humana. Entre as características que são analisadas pelo sistema estão:

  • Distância entre os olhos, queixo e testa;
  • Formato dos lábios, maçãs do rosto e orelhas;
  • Contorno da face;
  • Marcas e cicatrizes;
  • Entre outras características da face.

Para realizar o processo de reconhecimento facial, o sistema detecta e coleta as características do rosto. Essas informações geram uma espécie de “identidade facial”, que é transformada em um código numérico.

Essa identidade é comparada com imagens que estão armazenadas em um banco de dados prévio. Ao comparar esses dados, o sistema determina o nível de similaridade entre o rosto avaliado e a imagem existente.

Vamos entender melhor os passos que o sistema de reconhecimento racial segue:

1. Rastreamento da face

Em primeiro lugar, o sistema precisa rastrear uma imagem capturada para detectar a localização e a posição do rosto. Essa imagem pode ser capturada pela webcam do computador ou do celular ou por uma imagem armazenada. Nessa foto são aplicados filtros para detectar as formas do rosto humano, como os olhos, a boca, o nariz, entre outros.

2. Extração de características

Nesta fase, as características rastreadas são analisadas, medindo-se a distância entre os diferentes pontos nodais presentes no rosto. Essas informações são armazenadas em uma base de dados, formando uma espécie de assinatura facial.

A obtenção dessa assinatura completa a etapa de extração de características. O objetivo aqui é calcular as especificidades de cada rosto, buscando nos detalhes as diferenças entre as pessoas.

3. Comparação com base de dados

Depois que o rastreamento e a análise são feitos, é preciso comparar as informações obtidas com uma base de dados. É nesta fase que se comprova a veracidade da identidade informada.

4. Tratamento e armazenamento da biometria facial

A biometria facial ficará armazenada no banco de dados da empresa e, com o consentimento do usuário, ela será aplicada na autenticação da identidade em diversas situações, tais como alteração cadastral, compras online, pagamentos digitais, solicitação de crédito, check-in em áreas de acesso restrito como os postos de controle aeroportuário e alfandegário. Como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) classifica os dados biométricos como dados sensíveis, é fundamental obter o consentimento do usuário para a coleta, tratamento e armazenamento da biometria facial. 

Como o Reconhecimento Facial pode contribuir para a segurança digital?

Agora que você já sabe o que é Reconhecimento Facial, vamos entender melhor como ele pode contribuir para a segurança digital. Segundo dados do Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude 2021, a cada 7 segundos, um brasileiro é alvo de uma tentativa de roubo de dados. Somente em 2021, ocorreram cerca de 4,1 milhões de movimentações suspeitas, das quais mais de 50% foram tentativas de fraudes contra bancos e cartões (2,3 milhões de ocorrências). 

O roubo de identidade, um tipo comum de fraude na internet, acontece quando há adulteração, omissão de informações relevantes em um documento ou utilização de dados pessoais de terceiros com o objetivo de prejudicar ou de obter vantagem para si ou para outra pessoa.

Para prevenir essas situações e aumentar a segurança de dados, as empresas estão investindo cada vez mais na contratação de uma solução antifraude. É nesse ponto que o reconhecimento facial pode ajudar, já que ele possibilita a verificação de autenticidade dos dados.

Segundo dados do estudo realizado pela FIS, em conjunto com a Ipsos, cerca de 52% das pessoas entrevistadas afirmaram ter utilizado algum meio de pagamento digital em 2021. A aquisição de mercadorias através de aplicativos foi a opção para 49% dos entrevistados. Além disso, 40% informaram que realizaram pagamentos sem contato: aproximação, online, app mobile, QR Code e BNPL (Buy Now Pay Later). 

Dados da FIS mostram ainda que a segurança é requisito fundamental para 25% dos consumidores de lojas virtuais. A pesquisa aponta ainda que outros 28% deixariam de comprar se o site que estivessem acessando não fosse visto como seguro.

É por isso que o reconhecimento facial é um investimento tão positivo. A tecnologia previne ações por roubo de identidade ainda em seu estágio inicial, garantindo um sistema mais seguro e, com isso, uma experiência de compra mais satisfatória para o usuário.

Além de impedir o prejuízo financeiro, soluções de segurança digital, como o reconhecimento facial, também garantem a credibilidade da empresa. 

Veja outras vantagens que o uso do reconhecimento facial traz para o meio digital

Combate a fraudes

Hoje, buscar por alternativas que combatam às fraudes é fundamental para que a empresa possa alcançar resultados mais expressivos e garantir um diferencial competitivo. O reconhecimento facial permite justamente isso: por meio de uma tecnologia fortemente aliada à segurança, evita fraudes e golpes, além de otimizar processos para a análise de crédito feita pela organização.

Confirmação de documentos

A validação que normalmente é feita dos documentos, ou seja, a validação manual, já não é eficaz no mundo tecnológico em que vivemos. Dessa forma, o reconhecimento facial possibilita a confirmação de identidade e a conferência de documentos à distância e de maneira automática e segura.

Segurança da informação

É muito mais complexo fraudar dados da biometria facial do que uma senha, por exemplo. Este recurso usa o que temos de mais único, os traços faciais para proteger e controlar o acesso a sites e aplicativos, como bancos, e garantir a segurança de compras e transações.

Melhora na experiência do cliente

A tecnologia de reconhecimento facial proporciona mais agilidade e segurança no atendimento ao público-alvo da empresa. Ao realizar a biometria facial do usuário, a empresa obtém um cadastro completo, consistente e qualificado. Isto ajuda a prevenir a inclusão de fraudadores de identidade no banco de usuários, por exemplo. Com o reconhecimento facial, as operações transacionais tornam-se mais rápidas e seguras. A ferramenta elimina a digitação das credenciais de acesso, geração do tokens e outros métodos demorados para autenticar a identidade do usuário. 

A simplicidade e rapidez do processo de reconhecimento facial melhora a experiência do usuário, desde o primeiro contato com a empresa e transações futuras. Usuários satisfeitos com a jornada de atendimento, certamente, sentem-se mais motivados para manter o relacionamento com a empresa. 

Precisão e automação

A identificação facial é precisa e confiável devido ao acesso a uma grande base de dados prévia e a tecnologias eficientes. Essa tecnologia possibilita ainda a automatização dos processos de identificação e garante sua eficiência.

Fácil processo de integração

Muitas vezes, as empresas ficam receosas de adotar novas soluções devido ao seu processo de integração. No caso do reconhecimento facial, não há com que se preocupar. Essas ferramentas funcionam com os softwares de segurança já existentes, além de a adaptação também ser facilitada por parte dos colaboradores.

Privacidade

Além de só ter o direito de compartilhar as informações dos consumidores com autorização, as empresas podem utilizar softwares capazes de transformar as imagens em números, excluindo a necessidade de armazenar as fotos no banco de dados.

Reconhecimento facial: por onde começar?

Ficou interessado nesta solução, mas não sabe nem por onde começar? Conheça a  Unico, idtech pioneira e líder em identidade digital no Brasil, que  desenvolveu a mais completa e robusta solução para proteger a identidade de seus clientes, garantindo a segurança e otimizando a confiabilidade de suas operações: o Unico Check! De janeiro a julho de 2022, e Unico Check conseguiu evitar mais de 2,1 milhões de tentativas de fraudes de identidade contra os clientes das empresas que utilizam seu sistema de reconhecimento facial, o que representaria aproximadamente 110,8 bilhões em prejuízos para seus clientes.. 

A empresa apresenta o melhor score biométrico do mercado em termos de validação e autenticação de identidades.

O processo de reconhecimento facial realizado pelo Unico Check acontece de modo simplificado e intuitivo, da seguinte forma:

  • A foto é capturada com a pessoa ao vivo, evitando que outra faça uso de sua imagem;
  • A análise biométrica é realizada por meio da comparação de características no banco de dados;
  • É garantida a veracidade da captura do documento;
  • É feita uma análise comparativa a partir do documento, por meio da verificação da compatibilidade da foto e do CPF fornecidos.

Vale ressaltar que tudo isso acontece de forma transparente e ética, em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGDP).

Ficou animado com essa solução, mas ainda tem dúvidas? Não tem problema! Acesse o site do Unico Check e saiba mais sobre a tecnologia de reconhecimento facial. 

Conheça o unico | check
thumb
Identifique seus clientes com a maior base biométrica facial do Brasil
  •  icone Reduza fraudes de identidade
  • icone Agilize seu processo de onboarding
  • icone Reduza custos com antifraude
  • iconeElimine custos com mesa de análise
Conheça nossa solução
icone carta

Inscreva-se e fique por dentro das tendências da biometria facial.

Artigos relacionados